Brincar é Coisa Séria!!!  
 



BRASIL, Sudeste, SAO PAULO, Mulher, de 26 a 35 anos, Portuguese, Arte e cultura
border=0
 
   Arquivos

12/06/2005 a 18/06/2005
15/05/2005 a 21/05/2005
17/04/2005 a 23/04/2005
10/04/2005 a 16/04/2005
20/03/2005 a 26/03/2005
13/03/2005 a 19/03/2005
06/03/2005 a 12/03/2005
 
border=0
Outros sites

 UOL - O melhor conteúdo
 BOL - E-mail grátis


Votação
Dê uma nota para meu blog



border=0
 


Dessa vez vamos falar de uma brincadeira muito praticada pelos meninos, mas que as meninas também conhecem: bolinha de gude.

ORIGEM

Nossos ancestrais pré-históricos já jogavam bolinhas de gude, ou melhor, seixos de rio e artefatos em argila. Legiões romanas, por sua vez, teriam sido responsáveis por difundir essa prática pelas terras conquistadas.

Materiais como ferro, mármore, gesso de formato arredendado, também foram usados pelospovos antigos.

No Brasil, as bolinhas de gude levam o nome de burico, roda, triângulo, papão e mata-mata.

OBJETIVO:

Reconhecer a brincadeira popular. Promover a integração do grupo.

MATERIAL:

Bolinha de gude (vidro); chão plano e firme.

As partidas podem ser a dois ou mais amigos. Distribua pelo chão. Existem 3 maneiras de jogar bolinha de gude:

1. acertando uma na outra (mata-mata);

2. atirando as bolinhas para dentro de uma área delimitada;

3. jogando as bolinhas em vários buracos, ao longo da área do jogo;

Ao acertar, ganha a bolinha que bateu em putra; que foi para a área delimitada ou qye caiu num buraco. O vencedor é que conseguir o maior número de bolinhas.

Fonte: Arte e Habilidade - Ângela Cantele Leonardi e Bruna Renata Cantele. Educação Infantil - Coleçãop Horizontes - Editora IBEP.



Escrito por Escrito por Sílvia Andrade às 11h12
[   ] [ envie esta mensagem ]






Estive doente e por isso me ausentei um pouco, mas agora já estou boa e já estou de volta!!!

Pierre Levy 2

A vontade de descobrir, de ter a explicação das coisas é algo que está intimamente ligado ao ser humano, nem que seja da forma mais simples como a curiosidade. A busca por respostas ganha menos ou mais importância, de acordo com o ambiente, mas, o interesse e a vontade de obter respostas por questões específicas, movimenta ambientes diferentes do "mundo de pesquisa". E esse ponto da pesquisa que busca resposta e cria soluções nos diversos ambientes existentes, como no caminho profissional, por exemplo, onde a busca por conhecimento atinge todos os níveis, como podemos ver no texto"As formas do Saber" de Levy, nem sempre há respostas prontas para tudo.

Meu mini-conto

Sinto medo... Estou sufocado...Preciso de água... A aguá! Não adianta mais, já me deram nome...



Escrito por Escrito por Sílvia Andrade às 00h43
[   ] [ envie esta mensagem ]






Brincadeira realmente é coisa séria. Professores cuidado dom as "brincadeiras" ofensivas! Esteja sempre atento a forma com que os alunos se tratam...

Na reportagem da revista Nova Escola, a autora Maria Helena Martins, se refere a essas brincadeiras de mau gosto. O texto põe em evidência um comportamento para o qual não raro se faz vista grossa. O complexo de inferioridade não se restringe ao âmbito dos estudantes. Os próprios professores, ao darem um apelido aparentemente inofensivo - baixinho, moreninho, etc. - ignoram quanto isso pode ser humilhante. O aprendizado da vida já é muito duro para ainda sermos condescendentes com essas atitudes".

Fonte: Como lidar com "brincadeiras" que machucam a alma. Revista Nova Escola - Fev/2005



Escrito por Escrito por Sílvia Andrade às 18h06
[   ] [ envie esta mensagem ]






PIERRE LEVY

Brincar é importante para exercitar a capacidade da criança para que tenha êxito em sua vida profissional, ao tornar-se adulto, porque brincando, a criança aprende a respeitar regras, interagir com os outros etc, mas também não podemos esquecer que a tecnologia é essencial para o saber.

No texto de Pierre Levy, fica claro que a digitalização nos ajuda no processo intelectual, ou seja, na memória, mas é claro que a aprendizagem tradicional é importante para o desenvolvimento da escrita e leitura (hoje em dia há vários métodos que se usam para ensinar a criança a ler e a escrever, porém não entrarei no mérito da questão).

Segundo Levy a informática é utilizada no auxílio de busca de informações relacionando aos textos propostos; levar a criança a um universo diferente, achando e criando coisas novas de modo a ampliar seus conhecimentos. 



Escrito por Escrito por Sílvia Andrade às 12h23
[   ] [ envie esta mensagem ]






OBSERVANDO A BRINCADEIRA

   Quando falamos brincadeira é coisa séria existe um papel muito imortante que é a participação da família, pois é onde a criança se sente mais acolhida, amada. É desse modo que a criança começa através dessa interação nas brincadeiras com os familiares, professores e amigos começam a despertar interesse em saber qual é, o que é e  o porque da regra do jogo.

   A participação do adulto como já havia falado é na vida da criança é essencial, por isso, o adulto (pais, professores, parentes, etc.) que estiver interagindo com a criança deve  observar o seu desenvolvimento motor e cognitivo, e, se está cansado, consegue entender a proposta da brincadeira, caso essa observação seja feita por um professor, ele pode interferir de modo que proponha novas brincadeiras.

Até mais...



Escrito por Escrito por Sílvia Andrade às 12h14
[   ] [ envie esta mensagem ]






MENSAGEM DO DIA 8 DE ABRIL

Existem duas brincadeiras que fazem parte da roda das brincadeiras antigas, e que, como muitas outras servem tanto para a diversão quanto para o desenvolvimento físico e psicológico das crianças. São elas:o pião e a peteca.

A ORIGEM DA PETECA

A peteca, asim como o pião, se encaixa no grupo dos jogos de rua. O nome vem do Tupi: PE TEKA= bater, bofetear. O Tupi é originário das tribos de índios que viviam no Brasil antes do descobrimento. Os historiadores dizem que os índios jogavvam com um material feito com pedras envolvidas em folhas de árvores, amarradas numa espiga de milho. Durante décadas foi apenas uma diversão, agora pe uma atividade esportiva oficializada pelo Conselho Nacional de Desportes (CND) em 27 de agosto de 1985, graças à persistência e luta da Federação Mineira de Peteca (FEMPE)

Objetivo:

- reconhecer a brincadeira popular;

- promover a integração gurpal;

Preparaçã e Material:

Giz; quadra ou área para a prática do esporte; peteca (pode ser encontrada em lojas de comércio);

Desenrolar:

Reúna as crianças e formr uma roda e com a palma das mãos, bata a peteca para o colega ao lado, que por sua vez, irá arremessá-la para o vizinho, e assim, sucessivamente. Quem deixar a peteca cair ou tocar mais de uma vez é eliminado. Um simples risco de giz no chão servirá para dividir duas equipes. Alguns clubes possuem quadras próprias para o jogo de peteca (uma quadra um pouco menor do que a de vôlei). A regra básica é não deixar a peteca cair e muita agitação na brincadeira!

A ORIGEM DO PIÃO:

O pião tem origem na Pré-História. Foram encontrados alguns feitos de argila. Na História antiga temos desenhos de piões estampados em vasos gregos, e, na cidade de Pompéia, foram identificados achados arqueológicos sobre o uso do pião. Existem piões de madeira, de metal, movidos a corda ou simplesmente impulsionados com os dedos.

Objetivos

- reconhecer a brincadeira popular;

- promover a integração gurpal;

Preparação e Material:

Um pião de qualquer tipo e a cantiga:

"O pião entrou na roda pião / O pião entrou na roda pião / Roda pião, bambeia pião / Roda pião, bambeia pião"

Desenrolar:

Para jogar o pião, enrole a fieira (cordão) de baixo para cima, segure-o firme entre os dedos indicador e polegar. A seguir, jogue-o ao chão, puxando bem depressa a fieira para trás. Seja persistente, pois não é fácil jogar pião. é um bom momento para você resgatar com seus familiares essa antiga brincadeira!

Fonte:

Arte e Habilidade - Angela Cantele Leonardi e Bruna Renata Cantele. Educação Infantil. Col. Horizontes. Ed. IBEP.

www.noticiasdocorpo.com.br



Escrito por Escrito por Sílvia Andrade às 03h02
[   ] [ envie esta mensagem ]






MENSAGEM DO DIA 01 DE ABRIL

Como brincar é coisa séria, citarei algumas brincadeiras que foram deiadas para trás...

1a. Cada Macaco no seu Galho: é um tipode pegador onde o pique consiste em colocar-se com os pés fora do chão: em árvores; bancos; degraus; etc.

2a. Morto-Vivo: O comandante do jogo diz "morto" e as crianças devem agachar. Quando diserem "vivo" as crianças devem se levantaar. O comandante pode fazer com que as crianças se confundam, repetindo a mesma ordem várias vezes.

3a. Pega-Pega aos Pares: Divide-se o grupo de participantes em duplas que deerão ficar de mãos dadas. Apenas um jogador fica sem paar: "o pegador". Este perseguiria os pares até conseguir alcançar um que será seu parceiro. O jogaador que ficar sem par correrá em busca de outro parceiro.

Os objetivos que queremos alcançar através dessas brincadeiras são:

- valorizar as brincadeiras infantis;

- estimular as crianças às brincadeiras tradicionais de forma que façam parte do seu cotidiano;

No próximo blog, estarei apresentando outras brincadeiras e justificando o porque do resgate das brincadeiras tradicionais.

Um beijo e até mais...



Escrito por Escrito por Sílvia Andrade às 02h11
[   ] [ envie esta mensagem ]






Brincando

Existem várias opiniões a respeito do assunto "brincadeira". Percebemos que em muitas escolas a aula de Educação Física é muito questionada, pois na maioria das vezes as aulas são concentradas apenas nos jogos de futebol, voleibol, handeibol, basquete, etc...O que presenciamos é uma concentração em determinadas modalidades espotivas e, por isso, aquele brincar antigo - cobra-cega, queimada, barra manteiga, brincadeiras de roda, entre outros - quase não existem mais.

Todavia, as brincadeira antigas podem trabalhar, tanto quanto os esportes, o físico da criança, despertando o interesse de "brincar como criança" em um contexto também fora da escola... Através dessas brincadeiras, podemos estimular as agilidades, habilidades além dos aspectos físicos e mentais da garotada...

É isso, e até mais... 



Escrito por Escrito por Sílvia Andrade às 22h00
[   ] [ envie esta mensagem ]






Apenas Brincando!

Como havíamos mencionado na mensagem anterior, a falta de espaço para a criança brincar está cada vez menor, fazendo com que a criança busque outros meios de entretenimento.

Hoje em dia as crianças que ficam presas em casa e apartementos tem uma tendência ter uma série de problemas de saúde, exatamente por não poderem realizar atividades físicas. E é por isso que os professores devem levar a sério as brincadeiras, pois essas auxiliam no desenvolvimento físico, aperfeiçoando a coordenação motora, fundamental para o intelecto dessas crianças.

É como dizia Anita Wadley em seu poema "Apenas Brincando":

Quando eu estiver, no quarto, construindo um edifício de blocos,
Por favor não diga que eu "estou apenas brincando".
Já que, entenda, eu estou aprendendo enquanto brinco.
Sobre equilíbrio e forma.

Quando eu estiver bem vestido, arrumando a mesa, cuidando do bebê,
Não tenha a idéia de que eu "estou apenas brincando".
Já que, entenda, eu estou aprendendo enquanto brinco.
Algum dia eu posso ser uma mãe ou um pai.

Quando você me vir até meus cotovelos na pintura,
Ou ajeitando uma moldura, ou moldando e dando forma à argila,
Por favor não me deixe ouvi-lo dizer que eu "estou apenas brincando".
Já que, entenda, eu estou aprendendo enquanto brinco.
Eu estou me expressando e sendo criativo.
Algum dia eu posso ser um artista ou um inventor.

Quando você me vir sentado em uma cadeira "lendo" para uma audiência imaginária,
Por favor não ria e não pense que eu "estou apenas brincando".
Já que, entenda, eu estou aprendendo enquanto brinco.
Algum dia eu posso ser um professor.

Quando você me vir recolhendo insetos ou colocando coisas que encontro no bolso,
Não os jogue fora como se eu "estivesse apenas brincando".
Já que, entenda, eu estou aprendendo enquanto brinco.
Algum dia eu posso ser um cientista.

Quando você me vir montando um quebra-cabeças,
Por favor, não pense que estou desperdiçando tempo "brincando".
Já que, entenda, eu estou aprendendo enquanto brinco.
Estou aprendendo a concentrar-me e resolver problemas.
Algum dia eu posso ser um empresário.

Quando você me vir cozinhar ou provar comidas,
Por favor não pense que estou aproveitando, que é "só para brincar".
Já que, entenda, eu estou aprendendo enquanto brinco.
Eu estou aprendendo sobre os sentidos e as diferenças.
Algum dia eu posso ser um "chef".

Quando você me vir aprendendo a saltar, pular, correr e mover meu corpo,
Por favor não diga que eu "estou apenas brincando".
Já que, entenda, eu estou aprendendo enquanto brinco.
Eu estou aprendendo como meu corpo trabalha.
Algum dia eu posso ser um médico, uma enfermeira ou um atleta.

Quando você me perguntar o que fiz na escola hoje,
E eu responder: "Eu brinquei".
Por favor não me entenda mal.
Já que, entenda, eu estou aprendendo enquanto brinco.
Eu estou aprendendo apreciar e ser bem sucedido no trabalho.
Eu estou preparando-me para o amanhã.
Hoje, eu sou uma criança e meu trabalho é brincar.

É isso aí, até mais

Sílvia



Escrito por Escrito por Sílvia Andrade às 02h13
[   ] [ envie esta mensagem ]






Apresentação

O tema a ser tratado nesse bolg diz respeito a importância do brincar na infância.

Hoje em dia, numa cidade com São Paulo, vemos que cada vez menos encontramos espaço e oportunidade para que nossas crianças possam brincar e se divertir.

O objetivo desse blog é melhorar e ampliar a visão dos educadores com relação às brincadeiras , resgatando-as no dia-a-dia escolar.

Assim, no decorrer desse trabalho, mostrarei algumas brincadeira e os benefícios trazidos por elas.

Um beijo, e até mais!



Escrito por Escrito por Sílvia Andrade às 00h41
[   ] [ envie esta mensagem ]






[ ver mensagens anteriores ]
border=0